Página inicial > Notícias > Mestre Zé Pereira em Cuba

Mestre Zé Pereira em Cuba

quinta-feira 1º de agosto de 2013, por Natália Latansio

Zé Pereira e integrantes do Ponto de Cultura Caiçaras, visitaram a cidade Holguin, em Cuba, onde puderam mostrar um pouco da beleza e riqueza da cultura popular caiçara.

PNG - 167.8 KB

Entre os dias 29 de abril e 15 de maio de 2013, integrantes do Ponto de Cultura “Caiçaras” da cidade de Cananéia, litoral Sul de São Paulo, participaram das XX Romerías de Mayo na cidade de Holguín, em Cuba. Este evento é uma tradicional festa da cidade que envolve diversas manifestações culturais, desde as tradicionais até as modernas, nas diversas áreas, como: música, artes plásticas, teatro, cinema, dança, cultura digital entre outras e esse ano contou com a participação de mais de 400 de pessoas de 24 países diferentes.

O coletivo do Ponto de Cultura “Caiçaras” foi representado pelo educador e produtor cultural, Cleber Rocha Chiquinho, pela jovem de 17 anos, bolsista e auxiliar de produção, Luana Vitório e pelo Mestre fandangueiro Zé Pereira, músico, artesão, construtor de instrumentos musicais e morador da comunidade tradicional do Ariri. “Foi a primeira vez que andei de avião e a primeira vez que sai do meu país, a família ficou toda chorando em Cananéia, mas é importante a gente vir mostrar nossa cultura em outro país, né?!”, declarou o Mestre Zé Pereira.

PNG - 150.5 KB

Além de uma exposição com artesanato e publicações sobre a cultura caiçara, o grupo presenteou os participantes do evento com algumas apresentações musicais. Zé Pereira encantou a todos com suas toadas e modas fandangueiras nos diversos espaços em que se apresentou, entre eles: rádio, televisão, espaços culturais e até no hotel, sendo muito aplaudido em todos eles. Foi convidado ainda, para uma participação especial durante a apresentação do grupo Derivasons, coletivo de músicos da cidade de Belo Horizonte, que também esteve presente no evento.

O grupo participou de uma mostra audiovisual com a projeção de dois filmes, o documentário “Saberes Caiçaras – a reinvenção da cultura caiçara na cidade de Cananéia”, produzido pelo Coletivo Jovem Caiçara e o filme de ficção infanto-juventil “Prosas, causos e aventuras: o retorno da cantoria caiçara” que conta a história de quatro crianças que correm contra o tempo para acharem os instrumentos musicais do fandango caiçara que sumiram na cidade, para que assim consigam fazer seus trabalhos de escola e principalmente manter viva a tradição da cultura local.

PNG - 118 KB

O ponto máximo do evento foi o pré-lançamento dos produtos sociais resultantes do último projeto realizado pelo Ponto de Cultura, o “Programa Puxirão: apoio ao fandango caiçara em Cananéia”. Financiado pelo Ministério da Cultura (MinC), através do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial” do Instituto Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o projeto resultou em um livro com quatro histórias em quadrinhos, dois discos com canções dos grupos de fandango da cidade, um filme de ficção infanto-juvenil e um portal na internet com muitas informações sobre o fandango caiçara.

“Ficamos muito felizes por termos conseguido participar desse evento, principalmente nesse momento, em que o Fandango Caiçara foi recentemente registrado como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo Governo Federal e também tombado como patrimônio imaterial pela Prefeitura de Cananéia.”, ressalta Cleber.

PNG - 157.9 KB

Outra participação desse coletivo durante o evento foi com a organização de uma roda de conversa sobre “Meio Ambiente e Cultura Tradicionais” no qual puderam expor como é e como está a dinâmica de vida das comunidades tradicionais do Brasil, em especial as comunidades caiçaras, que lutam há décadas por seus direitos e pelo reconhecimento do território em que vivem, como forma de garantir a sobrevivência dessas populações e manter vivo seus modos de vidas e suas práticas tradicionais.

PNG - 150.9 KB

Vale ressaltar, que essa viagem fez parte do projeto “Arte Digital Sem Limites” que consiste em um projeto de formação e intercâmbio em software livre e cultura digital que o Ponto de Cultura desenvolve desde 2011 e que conta com apoio financeiro do Ministério da Cultura (MinC), através do Prêmio Cultura Digital.

Portfólio